Maria Luísa Jacquinet

UAL – Universidade Autónoma de Lisboa

Póster

De mosteiros a congregações: Iluminismo e secularização nas alterações de paradigma religioso feminino em Portugal no ocaso do Antigo Regime

From monasteries to congregations: Enlightenment and secularization in women’s religious paradigm changes in Portugal at the end of the Ancien Régime

Maria Luísa Jacquinet é docente universitária. Licenciou-se em História, variante de História da Arte, realizou o mestrado em Estudos do Património e doutorou-se em História, especialidade de História da Arte, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Possui igualmente formação em Museologia e em Direito do Património Cultural. Foi bolseira da ReIReS (Research Infrastructure on Religious Studies) e da Universidade de Durham (Reino Unido) e realizou diversos programas de visiting scholarship na Faculdade de Teologia da Universidade Católica de Lovaina (KU-Leuven). Tem colaborado em projetos editoriais e de investigação, nacionais e estrangeiros, relativos à espiritualidade cristã e à história e património religiosos, assim como em projetos de intervenção em edifícios históricos. Os seus domínios de interesse incidem essencialmente sobre património monástico-conventual, espiritualidade monástica feminina e exílio católico no contexto dos conflitos religiosos da Europa Moderna.

 

 

Resumo

A passagem do Antigo Regime para a Época Contemporânea foi assinalada, em Portugal, por uma alteração substancial à vida religiosa, mormente regular. No caso das comunidades femininas, verificou-se o estiolamento de um modelo monástico contemplativo em favor de um modelo de vida ativa, representado pelas congregações de votos simples. Apesar do papel central que, nesse processo, assumiram os decretos de supressão das Ordens religiosas dos anos Trinta de Oitocentos, outras circunstâncias houve, inscritas a montante, cujo impacte deve ser sublinhado. Delas se destaca, infundida de ânimo iluminista, a Junta do Exame do Estado Atual e Melhoramento Temporal das Ordens Religiosas, instituída em 1789 por D. Maria I, e a reforma religiosa que promoveu. Com base na documentação produzida pela instituição mariana e noutra de natureza religiosa, cumpre aferir o impacte das Luzes e da secularização – direto ou indireto, pressentido no claustro ou sobre ele imposto – na evolução do paradigma de vida consagrada feminina em Portugal nos alvores da Contemporaneidade.

 

Abstract

The transition from the Ancien Régime to the Contemporary Period was marked in Portugal by a substantial change in religious life, especially in regular life. In the case of women’s communities, a contemplative monastic model was abandoned in favor of a model of active life, represented by the congregations of simple vows. Despite the central role played in this process by the decrees of suppression of religious orders in the 1830s, there were other circumstances, inscribed upstream, whose impact should be emphasized. Of these, the Junta do Exame do Estado Atual e Melhoramento Temporal das Ordens Religiosas (Board for the Examination of the Current State and Temporal Improvement of Religious Orders), set up in 1789 by Queen Maria I, and the religious reform it promoted, stand out. Based on the documentation produced by the Marian institution and others of a religious nature, it is important to assess the impact of the Enlightenment and secularization – direct or indirect, felt in the cloister or imposed on it – on the evolution of the paradigm of consecrated female life in Portugal at the dawn of Contemporaneity.

 

Scroll to Top